Direitos do Consumidor, LiberFly

Extravio de Bagagem

Extravio de bagagem é um dos piores pesadelos dos viajantes. O primeiro passo é fazer o Registro de Irregularidade de Bagagem (RIB) no guichê da companhia aérea em até 7 dias após o embarque/desembarque. Conforme as leis da Anac, sua bagagem tem que chegar em até 21 dias (em casos de voos internacionais) ou 30 dias (nos casos voos nacionais). Após esse prazo, é considerado extravio definitivo. Você tem direito a indenização em todos os casos de extravio de bagagem ou bagagem danificada.
Aconteceu extravio de bagagem com você nos últimos 5 anos? Fale com a LiberFly!

Extravio de bagagem é um dos piores pesadelos dos viajantes. A sensação de pisar em uma nova cidade é amargada ao perceber que sua mala não vai aparecer na esteira. Você já passou tempo demais esperando e olha ao redor acreditando que alguém a pegou por engano. Pois é, você ficou sozinho lá e vai ter que gastar um tempo até organizar tudo.

Não se sinta desamparado. As leis da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e o Código de Defesa do Consumidor te resguardam nesses casos. Não deixe que o estresse momentâneo estrague o resto da viagem.

Clique aqui para preencher nosso formulário e ser indenizado!

O importante é saber quais providências tomar nesses casos. Mas você sabe quais medidas evitam que sua mala seja extraviada? Existem precauções interessantes que fazem muita diferença na hora do embarque. Porém, tomar ou não a iniciativa não exime a responsabilidade da companhia aérea de te oferecer apoio. Você sabe como a empresa pode te compensar? Não? Então está na hora de aprender como funciona o extravio e quais ações tomar caso ele aconteça!

Veja nosso artigo sobre extravio de bagagem no LinkedIn!

Como evitar o extravio de bagagem?

Existem algumas dicas para evitar o extravio de bagagem ou, pelo menos, dificultar que isso aconteça:

Retire adesivos de voos antigos

Os adesivos podem confundir na identificação do voo e sua mala parar em outra aeronave.

Não faça o check-in com menos de 1 hora de antecedência

Fazer o check-in em cima da hora é uma má ideia! Chegue no aeroporto com um pouquinho mais de 1 hora antes do embarque, faça os procedimentos com calma e garanta que está tudo em ordem antes de entrar no avião.

Identifique sua mala com nome, endereço e e-mail

As malas estão cada vez mais simples e parecidas. Por isso, é fundamental que a sua se diferencie. Independente de caracterizá-la ou não, é recomendável que você identifique sua mala para evitar que alguém a pegue por engano na esteira.

Diferencie sua bagagem com adesivos, fitas ou lenços

Mesmo que sua mala tenha identificação, ela pode não ser tão visível para uma pessoa distraída na fila da esteira. Caracterize sua bagagem com adesivos, fitas, lenços ou qualquer adereço que a diferencie da maioria. Pode ser que não fique bonita esteticamente, mas afinal, estamos interessados com seus pertences ou com a moda das malas?

Evite levar objetos com valor acima de R$ 1.131,00 dentro da mala

É aconselhável levar joias e eletroeletrônicos na bagagem de mão. Se não houver outra forma, faça uma declaração especial no momento do check-in com a transportadora. A companhia aérea pode cobrar um adicional de acordo com o valor declarado. Isso te protege, caso sua mala seja extraviada ou tenha algum dano, e aumenta sua indenização.

Esteja preparado se rolar o extravio de bagagem!

Mesmo assim, o extravio pode rolar e é mais comum do que se imagina. É um dos maiores medos dos viajantes e isso causa danos irreparáveis na viagem. Por isso, leve sempre na sua mala de mão itens básicos, como uma muda de roupas e acessórios de higiene pessoal.

Clique aqui para preencher nosso formulário e ser indenizado!

Tire fotos da sua bagagem antes de despachar e evite colocar bens caros dentro dela. Contudo, se não houver outra forma de transportá-los, declare no momento do check-in. Esses cuidados servirão como provas caso haja um eventual extravio.

Torcemos para que você não precise de todas essas provas e sua viagem siga seu curso normal e esperado!

Dados

Segundo a matéria do blog Todos a Bordo, a Sita, empresa especializada em tecnologia de aeroportos, 47% dos danos, extravios temporários ou definitivos ocorrem quando o destino exige conexão (cerca de 10 milhões de bagagens!).

Só em 2017, o prejuízo das empresas por conta deste tipo de erro foi de R$ 8 bilhões! São cerca de 5 malas extraviadas para cada 1.000 passageiros. Com o número crescente de usuários de transportes aéreos, a quantidade de problemas com bagagens também sobe, mesmo que a porcentual se mantenha ou desça.

Apesar do alto número de malas que se perdem no caminho, apenas 5% delas se perdem para sempre. Em 78% dos casos, as malas voltam para os seus donos com algum atraso.

O que fazer nesses casos?

Você deve fazer uma reclamação escrita (RIB) no guichê da companhia aérea em até 7 dias após o embarque/desembarque. Conforme as leis da Anac, sua bagagem tem que chegar em até 21 dias (em casos de voos internacionais) ou 30 dias (nos casos voos nacionais).

Faça o RIB em caso de bagagem extraviada e bagagem danificada

Registro de Irregularidade de Bagagem (RIB): para dano e extravio de bagagem!

O Registro de Irregularidade de Bagagem (RIB) é o documento que registra qualquer incidente relativo a bagagens despachadas em voos nacionais e internacionais. O passageiro deve pedir no balcão da companhia aérea em caso de extravio de bagagem, dano e roubo. Ele relata de maneira precisa o que aconteceu com a sua bagagem, onde está, pra onde foi e serve como prova do problema aéreo.

Em casos de extravio de bagagem, a Anac estabeleceu um prazo para a companhia aérea entregar a sua mala. São 7 dias para voos nacionais e 21 para viagens internacionais.

Clique aqui para preencher nosso formulário e ser indenizado!

O RIB é fundamental para você conseguir a sua indenização. Sem ele, não tem prova alguma se o seu problema realmente ocorreu. Se você saiu do aeroporto irritado com o acontecimento e não fez o Registro de Irregularidade de Bagagem, fique tranquilo. O passageiro tem até 7 dias para realizar o eu RIB.

Quem preenche o RIB?

O funcionário da companhia aérea vai relatar o que aconteceu com sua bagagem. Por isso, relate com precisão o que ocorreu e o que isso causou. Após descrever a situação, você deve assinar o documento. Uma cópia fica com a companhia aérea e outra fica com você.

Fique atento aos casos em que o funcionário apenas ouve sua reclamação e informa que não pode fazer nada. Isso está errado! É seu direito ter acesso ao Registro de Irregularidade de Bagagem. Se o funcionário não registrar o seu RIB, vá a uma delegacia e faça um boletim de ocorrência. Se possível, ainda dentro do aeroporto.

Serve como prova vídeos e fotos do ocorrido. É o que chamamos de danos morais, e a sua indenização pode ficar ainda maior por conta disso!

O maior terror do passageiro em uma imagem: a bagagem extraviada

Documentos necessários para fazer o Registro de Irregularidade de Bagagem

São, basicamente, três documentos necessários para realizar o RIB: um documento de identificação com foto (RG, CNH ou passaporte), comprovante de despacho da bagagem e cartão de embarque.

O funcionário da companhia aérea pode te pedir algum outro documento, mas será apenas para complementar seu registro de acordo com a empresa.

Permaneça com todos os seus documentos em posse! Não deixe que o funcionário fique com seu comprovante de despacho, nem cartão de embarque. Eles serão fundamentais para você provar que houve um problema aéreo e conseguir a sua indenização.

Extravio de bagagem na viagem a trabalho: o que fazer?

Pior do que ser prejudicado nas férias, é ser prejudicado quando está trabalhando. Quanto maior o negócio, mais constantes são as viagens. Entretanto, o micro empreendedor também sofre, da pior forma possível, com os problemas aéreos. Foi o caso da Juliana, que sofreu extravio de bagagem e perdeu uma grande oportunidade de trabalho, fora os danos morais pela perda de um momento importantíssimo na vida de seu melhor amigo.

Para explicarmos melhor como reagir em casos de extravio de bagagem na viagem a trabalho, vamos contar a história da fotógrafa Juliana. Confira!

Juliana teve sua bagagem extraviada durante viagem a trabalho

Juliana e o extravio de bagagem

A fotógrafa Juliana conheceu Raphael, seu melhor amigo, ainda na infância em Salvador. Quando recebeu o convite para fotografar o casamento de Raphael e seu noivo Antônio, em Fernando de Noronha, ficou extremamente feliz por ser a responsável de registrar um dos momentos mais importantes da vida de seu amigo. Empolgada pela viagem para o lugar paradisíaco, Juliana organizou sua agenda de ensaios, cancelou alguns compromissos e remarcou outros, tudo para que desse certo a sua mais importante viagem a trabalho da vida.

Clique aqui para preencher nosso formulário e ser indenizado!

Juliana teve que reservar hotel, translado e toda a logística que envolve uma viagem para Fernando de Noronha. Ainda em casa, a fotógrafa se precaveu quanto os seus equipamentos: fotografou a mala aberta e anotou tudo que estava levando. Na hora de despachar, viu o peso e pediu para que indicasse a fragilidade da bagagem.

Problemas aéreos dão uma baita dor de cabeça! Saiba o que fazer clicando aqui!

Seu voo saiu de Salvador com destino a Recife, e de lá pegou avião para Fernando de Noronha. A paisagem litorânea acompanhou Juliana durante toda a viagem, fazendo-a lembrar dos momentos com o casal de amigos, as vivências compartilhadas com Raphael e pensava na energia surreal de registrar um casamento na paradisíaca ilha tupiniquim. Depois de muito tempo vendo a imensidão azul escura do mar, intercalada pelas nuvens brancas que separavam o oceano do céu azul claro, ela enxergou a ilha. A adrenalina que corria nas veias de Juliana misturava ansiedade e felicidade.

A alegria no rosto de todos os passageiros era contagiante. Todos se encaminharam para a esteira de bagagem conversando muito. Um por um pegou a sua mala. Só ficou Juliana. Acostumada com viagens, ela ficou incrédula quando percebeu que sua bagagem não estava ali. Ao se encaminhar para o guichê, a confirmação de algo que nunca havia lhe ocorrido em nenhuma outra viagem a trabalho: bagagem extraviada.

De uma hora para a outra, todo o planejamento feito por Juliano foi por água abaixo. Por sorte, Raphael e Antônio conseguiram outro fotógrafo para registrar o casamento e Juliana pôde curtir a festa sem se preocupar com o trabalho. Entretanto, sua viagem a trabalho foi prejudicada por um erro da companhia aérea. Portanto, ela não recebeu pelo serviço que iria prestar por conta deste problema aéreo. Além disso, os prejuízos do extravio de bagagem também a prejudicaram na hora de pagar a sua hospedagem e nos trabalhos que tinha marcado em Salvador após a viagem.

Os prejuízos na viagem a trabalho da fotógrafa Juliana foram enormes. O problema aéreo fez com que ela perdesse em definitivo o seu equipamento profissional, quase prejudicou o casamento do seu melhor amigo, a impediu de receber pelo serviço que ia prestar e ainda foi lesada pelos trabalhos dos quais já havia assinado o contrato quando retornasse de viagem. A LiberFly atua em casos como esses, pois a passageiro sofreu tanto o dano moral quanto material. Mas você saberia reagir em casos assim? Nós vamos tirar as principais dúvidas quanto ao extravio definitivo de bagagem em uma viagem a trabalho.

Como reagir em casos de extravio de bagagem na viagem a trabalho?

Independente se for viagem a trabalho ou de férias, existem procedimentos que o passageiro deve seguir logo após a confirmação do problema. A pessoa lesada deve realizar o Registro de Irregularidade de Bagagem (RIB) em até 7 dias úteis após a viagem. Caso a sua mala não chegue em até 21 dias (se o passageiro tiver feito uma viagem internacional) ou 30 dias (para voos nacionais), o extravio de bagagem é considerado definitivo. Nessas situações, a compensação financeira é maior que em casos de extravio de bagagem comum.

Clique aqui para preencher nosso formulário e ser indenizado!

A diferença de ter a bagagem extraviada em uma viagem a trabalho é o material perdido, que no caso da Juliana foram seus equipamentos fotográficos. Portanto, a sua compensação deve cobrir o seu dano material. E, além dos prejuízos com o equipamento, houve o constrangimento da fotógrafa em não realizar o seu trabalho pelo qual viajou, configurando dano moral. Juliana também tinha compromissos profissionais de contrato assinado quando retornasse para Salvador e não teve como realizá-los devido ao extravio, portanto a sua compensação financeira também deve abarcar os prejuízos monetários do serviço não realizado.

Extravio de bagagem: Indenização

Caso sua mala realmente tenha sido extraviada, comunique o problema no guichê da companhia aérea no aeroporto. A devolução da mala acontece em até 21 dias, para voos internacionais, ou 30 dias, no caso de voos domésticos, no endereço indicado pelo passageiro. Isso não tira o compromisso da companhia aérea de ressarcir seu cliente, mesmo que cumpra as regras da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) com problemas dessa natureza.

Ainda em dúvida sobre nossos serviços? Veja porque a LiberFly é confiável!

Sua indenização será mais alta caso sua bagagem tenha sido extraviada na ida. Se a companhia tiver um atraso de entrega superior a 72 horas desde seu desembarque, a empresa deve arcar com suas despesas com itens básicos. O valor é superior a R$ 350 em viagens nacionais e, nos casos de voos para o exterior, o preço chega a R$ 5.300. Então, guarde todos os comprovantes de gastos. Eles serão exigidos posteriormente.

A compensação financeira em casos de extravio definitivo ou temporário variam conforme o caso. Os valores, somados com danos materiais e morais, vão de R$ 1.500 a R$ 25.000.

Bagagem danificada: a falta de cuidado com os pertences do passageiro é reponsabilidade da companhia

Bagagem danificada

Todo mundo tem aquele medo de ter a bagagem danificada quando despacha a mala. Botar o adesivo de ‘frágil’ não adianta muita coisa e seus pertences podem chegar avariados no destino. Mas de quem é a culpa nesses casos?

As companhias aéreas são responsáveis por qualquer tipo de dano ou violação na bagagem de seus passageiros, de acordo com a Anac. O cliente tem um prazo de 7 dias para registrar a reclamação no guichê da companhia.

As precauções para evitar o extravio também servem para a bagagem danificada. Porém, os casos mais comuns são de danos na mala do passageiro. Portanto, é muito mais fácil de você provar que sua mala foi quebrada do que quando o dano é num objeto dentro da bagagem. Se utilize das fotos tiradas antes da viagem para provar danos ou furtos!

Clique aqui para preencher nosso formulário e ser indenizado!

Mesmo com as novas regras sobre bagagem, como peso e medida, a companhia aérea é integralmente responsável pelos pertences de seus clientes. Segundo a resolução nº 400/16 da Anac, as empresas aéreas têm total responsabilidade sobre qualquer bagagem danificada, violada ou extraviada.

No caso da bagagem danificada, a empresa deve consertar a avaria ou substituir a mala por outra ou ressarcir num valor equivalente. Porém, quando a mala é violada, o dano precisa ser provado para que a reparação seja realizada pela companhia aérea.

Como você provar que sua bagagem foi danificada?

Antes de embarcar, tanto na ida quanto na volta, faça uma lista de tudo que está dentro da bagagem. Fazer a lista na volta é importante porque você pode trazer algo novo dentro da mala, por isso precisa atualizar!

Caso algum pertence quebre ou seja furtado, essa lista serve como prova da sua bagagem danificada. Tanto para fazer o Registro de Irregularidade de Bagagem, quanto para preencher o formulário com a LiberFly, a maior quantidade de provas torna o seu caso mais propenso a compensação financeira.

Você tem 7 dias para ter um final feliz nesse filme de terror!

Tempo para a companhia aérea reparar minha bagagem danificada

Depois de realizar o Registro de Irregularidade de Bagagem (RIB) no guichê da companhia aérea, a empresa tem 7 dias para consertar, te dar uma bagagem nova ou o valor equivalente. Dependendo do caso, a companhia pode te emprestar uma mala para você transportar seus pertences.

Em caso de negativa da empresa, você pode contactar diretamente a Anac solicitando o seu direito. Você só precisa do número do voo, localizador e seus documentos pessoais. Em caso de mais dúvidas, entre em contato conosco pelo direct do nosso Instagram!

Cheque seus pertences ao pegar a mala

Ao pegar sua bagagem na esteira, veja se está tudo de acordo. Se houver algo quebrado ou ausente, vá imediatamente ao guichê da companhia registrar o seu RIB e faça um boletim de ocorrência na polícia. Se utilize das fotos tiradas antes da viagem para provar o furto.

Clique aqui para preencher nosso formulário e ser indenizado!

Numa viagem para os Estados Unidos, por exemplo, a TSA (Administração de Segurança no Transporte) pode abrir sua mala para ver se está tudo certo. Porém, quando isso acontece, eles deixam um recado. O aconselhável é viajar com um tipo de cadeado dentro das normas da TSA, uma vez que a revista dentro da mala é inevitável.

Alfândega

Quer levar aquele presente para um ente querido no Brasil mas tem medo de ser taxado na Alfândega? Então fique tranquilo porque listamos algumas das regras mais importantes no transporte de objetos!

Transporte de líquidos

Quer trazer um vinho de presente e não sabe como? Compre garrafas com até 100ml e as transporte em bagagem de mão nos voos internacionais. Em malas despachadas o limite é de 12L ou 16 garrafas de 750ml.

Artigos de valor unitário

Em até 10 peças iguais, são permitidas 20 unidades de objetos cujo valor cheguem a R$ 10.000,00. Para mercadorias que ultrapassem esse valor, também são permitidas 20 unidades, porém apenas 3 objetos iguais.

Cigarros e fumos

Você poderá levar, no máximo, 10 maços com 20 unidades. Já charutos e cigarrilhas, o limite é de 25. Caso leve apenas fumo, é permitida 250 gramas.

Dinheiro

Se você estiver ingressando ao Brasil com moeda nacional ou internacional, o limite para transportar dinheiro em espécie é de R$ 10.000,00. Entretanto, se ultrapassar esse valor, você é obrigado a apresentar Declaração Eletrônica de Bens de Viajantes (DEBV).

Produtos proibidos

Alguns itens são proibidos e podem ficar apreendidos na alfândega ou até levar à prisão do passageiro. São estritamente proibidos: cigarros de marcas não comercializados no país de origem, réplicas de arma de fogo, produtos com organismos geneticamente modificados, agrotóxicos e substâncias entorpecentes.

A Alfândega cobra caro!

Tome cuidado para não ser taxado ao passar pela alfândega. O seu objetivo de conseguir comprar algo mais barato no exterior pode ir por água abaixo se tiver algo irregular. Se você ultrapassar o limite de US$ 500,00, sua multa será de 50% sobre o valor excedente. Sobretudo, confira se as embalagens de bebidas e perfume estão seladas e a nota fiscal à vista.

Clique aqui para preencher nosso formulário e ser indenizado!

Nós podemos te ajudar!

Infelizmente, só está livre do extravio quem não viaja de avião. Porém, independente das medidas de identificação da mala ou antecedência do check-in, erros acontecem. Sabemos que é complicado chegar num lugar diferente e lidar com o estresse de fazer reclamações e B.O. Não deixe que isso estrague sua viagem! Deixe seus problemas no aeroporto com a LiberFly e vá respirar novos ares. Assim, a burocracia fica conosco e você fica com a diversão!

Author image

Sobre Pedro Maioli

  • Vitória/ES